Cristiane Donato Jatene | CRP: 06/98120 – cristianedj@gmail.com

Psicóloga

Especialista em Terapia de Casal e Familia pela PUC/SP

Terapeuta Daseinsanalista pela Associação Brasileira de Daseinsanalise
Acompanhante Terapeutico pelo HC /SP
Historiadora

 

Minha primeira faculdade foi Historia. Quando entrei na faculdade já fazia terapia há um ano. A terapia para mim era um mundo novo no qual eu me descobria. Entrei por indicação de uma prima psicóloga, que falou que eu poderia ter esse espaço para me compreender melhor e as minhas relações. Sempre fui muito ligada as artes, porque fazia danças desde criança e gostava muito de ler, de música, cinema e teatro. O mundo para mim era dividido em dois: o que eu vivia no dia-a-dia e o que eu vivia em cada situação artística a que me expunha. Minha primeira terapia foi psicodrama e, pra mim, era lúdica essa junção de terapia e de teatro.

 

Quando terminei a faculdade de História, já sabia que queria ser psicóloga, mas esse grande sonho só se realizou alguns anos depois. Durante a faculdade de História, estudei Mitologia e Astrologia com uma psicóloga junguiana. Por isso, terminei a faculdade de História acreditando que se me tornasse psicóloga, seria ou psicodramatista ou junguiana.

 

O tempo passou, conheci outras danças, outras terapias, trabalhei em diversos campos e um dia voltei à PUC para buscar fazer um mestrado em Psicologia Social. Já havia reunido material sobre os grupos anônimos e pensava em fazer minha tese a esse respeito. Chegando ao Departamento de Psicologia Social, tive várias conversas e descobri que para ser psicóloga clínica no Brasil, como eu queria, eu teria que fazer a gradução de Psicologia. O vestibular já tinha passado. Eu tinha direito as vagas remanescentes da PUC, como ex-aluna, mas teria que pagar por uma segunda graduação. Consegui uma bolsa integral na UNIP.

 

No terceiro ano da faculdade, realizei a pesquisa sobre os grupos e no ano seguinte apresentamos essa pesquisa num congresso internacional. Fiz um curso muito bom, me dediquei muito, a cada trabalho, cada matéria, cada estágio, que foram bem diversificados. Psicodiagnóstico infantil fenomenologico-existencial, com visita domiciliar e escolar, psicopatologia no hospital-dia. Oficinas de Criatividade, Plantão Psicológico, ambos na abordagem fenomenologica-existencial. Atendimento clínico adulto.

 

No terceiro ano da faculdade, fiz um curso no HC de Acompanhamento Terapêutico, porque me interessava por realizar atendimento fora do consultório.

 

Na faculdade, conheci a fenomenologia-existencial e, logo, a Associação Brasileira de Daseinsanalyse, que é um veio da fenomenologia-existencial ligado ao pensamento de Heidegger. E essa é a abordagem a qual resolvi me aprofundar.

Alguns anos após terminar a faculdade, apresentei um trabalho sobre Plantão Psicológico fenomenológico-existencial, com uma ex-professora, no congresso nacional de psicologia Ciência e Profissão. Como fui fazendo terapia ao logo desses anos todos, percebia que gostaria de me especializar em Terapia de Casal e Família, que é um tipo de trabalho no qual o "paciente" é a relação. Do casal ou da família.

 

Cursei a especialização em Casal e Família no NUFAC (Núcleo de Família e Comunidade da PUC) na abordagem sistêmica. É um curso de três anos. A Terapia Narrativa é uma das três linhas da abordagem sistêmica e a que melhor dialoga com a Daseinsanalyse, por isso, a qual mais me dediquei.

 

Em 2015, apresentei num congresso internacional em Lisboa o trabalho que realizei para obtenção do titulo de especialista em terapia de casal e familia, "A autobiografia como jornada terapêutico, uma leitura sob a ótica da Terapia Narrativa".

Acredito que nessa breve apresentação é importante dizer que, além de formação teórica e terapia pessoal, trocar ideias, constantemente, com os colegas de profissão (psicólogos e, também psiquiatras), com conhecimentos diferentes, me enriquece muito.

Cristiane Donato Jatene - CRP 06/71247

gallery/image